sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Fechamento de Novembro/17 - lá vem o Brasil descendo a ladeira!

Acho que voltamos para a beira do abismo
Buenas galera! O ano acabando, e parece que o namoro com o mercado não vai vingar... a dúvida que fica é: acabou o bull market ou é só uma correção? Entendo que o mercado precificou a melhora da economia, a diminuição do desemprego, as reformas... e, agora, está cobrando a conta: economia voltou a cresce, emprego está diminuindo, os resultados das empresas estão melhores, algumas reformas foram feitas, mas... isso já foi precificado. Então não adianta o PIB crescer 1,0-1,5% pois isso não deve animar o mercado. Precisaríamos da Reforma da Previdência e, essa, eu acho que vai ficar para 2019.

Bom, a coisa não tá feia só no institucional, minha carteira encolheu novamente esse mês, após dois meses de crescimento. Alguns não recorrentes fizeram eu raspar a guaiaca e o resultado foi uma retirada de grana. A expectativa é de que isso não se repita nos próximos meses, mas vamos ver... não custa pedir uma ajuda!

Então vamos aos resultados do mês:
  1. A Carteira teve desvalorização de 0,25% - impactada principalmente pelo resultado do Tesouro Direto e das Ações. Assim, teve desempenho superior ao Ibovespa e IFIX, mas perdeu para os demais benchmarks - até pros pilas que ficaram na carteira.
  2. Ações superaram o Ibov: -1,38% vs -3,15%
  3. FIIs superaram o IFIX: +0,55% vs -0,60%
  4. Outras Rendas Fixas ficaram em linha com o CDI: +0,55% vs +0,57%
  5. Tesouro Direto registrou novo prejuízo em Novembro e perdeu para o CDI: -0,55% vs 0,57%. O principal motivo para a queda foi o preju apurado no TD-Selic+35
  6. As doletas também apanharam do dólar comercial: -0,97% vs -0,06%

Aportes e Retiradas


Em novembro tive um encolhimento da carteira, onde a principal classe sacrificada foi a de Outras Rendas Fixas. Nos FIIs coloquei uma merrequinha e fui mais generoso com Ações e FIIs.

Quanto aos calotes momentâneos, consegui recuperar parte do atrasado, mas o net permaneceu igual pois, em Novembro, mais um cheque de cliente voltou e estou tentando receber. Isso já tá enchendo o saco!!!

Em Novembro fiz mais uma troca de parte de TD-IPCA+35 por TD-Selic e é bem provável que continue essa migração em Dezembro, embora o foco desse mês é avaliar o risco da carteira e planejar 2018. Por hora não consigo adiantar nada, a não ser que vou tentar seguir a Regra Número 1.


Bom, o clipe de hoje não é Moraes Moreira / Pepeu Gomes com a música do título. Escolhi Paralamas do Sucesso com cover de Legião Urbana (Que País é Esse). Mas sabemos bem... é o País que construímos com o jeitinho brasileiro, com a lei de Gérson, com a propina pro guarda da esquina, com aquele valor a mais na nota que a empresa vai nos reembolsar, com a sonegação, com a mutreta... sempre me pergunto se as críticas aos políticos são por causa da ética ou do ciúmes...


Um grande abraço a todos e bons investimentos!!!

12 comentários:

  1. IV,

    Salvo engano na próxima semana tem reunião do Copom, creio que o discurso será de cautela - o que fará que os juros longos subam...

    Por outro lado, o PIBinho pode incentivar a manutenção da SELIC em 7% ou menos e é justamente neste ponto que não me agrada o investimento em TD-SELIC, pois não repõe a "minha" inflação real.

    Ainda não saberia onde alocar os recurso das retiradas do TD-IPCA. Estou apostando em FIIs e algumas poucas ações.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, papapa! Quanto a reunião do Copom o mercado espera uma nova redução e ela deverá vir (eu espero 0,5 p.p.). Sinceramente, a não ser que haja um comunicado muito fora do esperado, não creio que o comunicado do Copom mude o rumo dos juros futuros. Penso que, nesse momento, o mercado está pesando as reformas e a sucessão presidencial, e ambas não estão muito favoráveis ou, pelo menos, estão muito indefinidas.

      Aportar em TD-Selic não é para ganhar, é para não perder. Eu tenho um limite na minha carteira tanto para renda variável como para renda fixa. Então, não faz sentido aportar em FIIs ou ações se meu limite foi atingido. E, tendo que optar na renda fixa, hoje vejo que a opção menos pior é TD-Selic. Talvez algum indexado curto, mas não sei...

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  2. Olá IpV,

    Nem o aporte me salvou dessa vez. Minha carteira despencou também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Cowboy! Imagina eu que não tive aporte - kkkk!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  3. Cara relax, investir é isso, tem dias que dá ruim, mas no geral (ano), vc está bem !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, SP! Sim, no anual tá legal. E, quanto à rentabilidade, eu não ligo tanto. O que quero é retomar uma constância nos aportes, mas isso virá.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  4. Não adianta, mercado não poupou ninguém este mês rs.


    Dei um tapa nos meus RSSs da blogosfera de finanças. Coloquei os 10 últimos links na barra lateral e fiz uma página que lista todos os sites da finansfera que conheço e acompanho.

    Adicionei seu blog lá! Se puder me adicionar no seu também, ficarei muito agradecido!

    Dá uma olhadinha pra ver como ficou: http://enriquecendo.club/blogosfera-de-financas/

    Abraços
    Enriquecendo.club

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Enriquecendo! Verdade... bateu em quase todos!

      Adicionado!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  5. IpV, tive um resultado semelhante. Sem aporte e com pequena queda no patrimônio. Não se preocupe com essas oscilações de CP. Parabéns pelo resultado acumulado, vamos tocando em frente. Mais importante que a velocidade é a direção!

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Sequoia! Normal, eu vi seu resultado... muito parecido. Mas quanto a direção, acredito que estamos na direção correta.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  6. IV,

    acho que o interessante neste momento seria pensarmos em cenários, algo do tipo:

    1- lula subindo nas pesquisas + sem reforma
    2- lula + com reforma este ano
    3- sem lula + sem reforma
    ... e por aí vai, ainda não parei para refinar os cenários na verdade.

    A questão é que não se trata de cenários otimistas x pessimista, e sim de cenários reais x surreais. Um exemplo de cenário surreal seria: reforma este ano e meirelles nas pesquisas, entende?

    A partir daí separar um % do capital de acordo com os pesos aos cenários e esperar...

    Tudo indica, em uma rápida análise, que TD-Selic seria o percentual de maior alocação mesmo, por conta das incertezas. O que me incomoda é ficar girando o dinheiro.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, papapa! Isso mesmo, todos esses cenários já passaram na minha análise, inclusive esse com Meirelles - que seria meu preferido!!!

      No entanto, não temos clareza nenhuma e, durante a corrida eleitoral, acredito que teremos muita volatilidade. Por isso defendo o aporte no TD-Selic. Acho que boas oportunidades vão aparecer e quero ter liquidez para aproveitá-las.

      Quanto a girar o patrimônio, eu também não gosto, mas gosto menos ainda de perder dinheiro ou não estar confortável com a alocação dos meus investimentos. Agora, eu não pretendo vender Ações ou FIIs e colocar no TD-Selic, apenas dar preferência nele nos novos aportes. Já as vendas dos TDs pré-fixados e/ou indexados, aí faz parte da estratégia - vendo, coloco o lucro no bolso e migro para o TD-Selic até encontrar nova oportunidade com um risco x retorno aceitável.

      Abraço e sucesso!

      Excluir