sábado, 25 de novembro de 2017

IPVS3 - Investir Para Viver Silvicultura!!!

Buenas, galera! Eu estava devendo um post dedicado ao projeto dos eucaliptos.

Porque investir numa plantação de Eucaliptos?


Sinceramente, eu não fiz uma avaliação precisa do retorno do investimento, e nem sei se o retorno do projeto será positivo. Sim, fiz uma conta de padaria, mas meus reais motivos para investir foram os seguintes:

1. Sempre tive interesse em investir na área rural;
2. Quem tem plantações de Eucaliptos (assim como Pinnus) está bastante desestimulado, pois os preços estão muito baixos. A consequência desse desestímulo é a óbvia migração do cultivo de florestas para outras atividades;
3. Assim, meu racional está em entrar na contramão da tendência, acreditando que terei madeira disponível quando o mercado estiver em alta.

Avaliar o projeto em si é um pouco difícil - muito no meu caso. Alguns fatores tem graus de liberdade muito grandes pois o investimento é de longuíssimo prazo. Obviamente, há uma maneira correta de fazer essa análise, mas eu preferi cuidar os riscos e acreditar no feeling.

O mercado de eucaliptos é impactado diretamente pela atividade econômica, uma vez que boa parte da sua produção é usada como energia. Siderurgia é o maior consumidor, mas diversas indústrias, também usam caldeiras a lenha. Na região onde moro, abatedouros e frigoríficos, laticínios, secadores de grãos, lavanderias industrias são grandes compradores de lenha e também de maravalha. Uma melhora na atividade econômica, leva a um aumento na demanda por lenha.

Outro mercado que afeta bastante o preço do eucalipto é o de celulose. Eucalipto é matéria-prima para celulose de fibra curta, mas nesse caso, não tenho nenhuma processadora de celulose próxima para eu vender a produção.

A construção civil consome varas, tábuas brutas e ripamento, e também está numa pindaíba danada. A expectativa é de que sua recuperação também contribua para a demanda por eucaliptos.

Finalmente, existe o mercado de serraria e laminação, mas o prazo para atender pode passar de 20 anos, e a maioria dos produtores não aguentam. Na minha visão, é aí que está o grande lucro, e esse é o meu objetivo. Abaixo ficará mais claro, quando explicar o ciclo de produção que pretendo seguir.


Ciclo de produção:


Pela lógica, inicia-se o ciclo pelo preparo da terra e plantio. E aí já tenho que decidir a densidade que vou trabalhar (árvores / hectare). Existem vários espaçamentos para o plantio de Eucalipto, desde os mais adensados (1,5 x 1,5) com foco quase que exclusivo em energia, até os bem espaçados (10 a 50 metros) para integrar gado à floresta. Eu estou usando espaçamento 3 x 2, ou seja, terei espaçamento de três metros entre as linhas e dois metros entre as ruas.

Nesse sistema terei cerca de 1.600 árvores por hectare com pasto integrado ao plantio florestal. Provavelmente o pasto sofra após alguns anos pois o eucalipto tende a ser dominante, mas a terra está nua e o pasto irá conter os efeitos nocivos das chuvas - já tive prejuízo com isso. 

Quanto à manutenção e colheita, a expectativa é a seguinte:

Na fase inicial, após a preparação do solo e o plantio propriamente dito, a maior preocupação é o ataque de formigas, o que venho combatendo desde o primeiro dia. Além das formigas, no primeiro ano, a limpeza no entorno das árvores é fundamental e deve ser feita através de capinas e roçadas. Por hora, o foco está só no combate às formigas, pois os pés ainda estão livres de mato.

2 anos: faz-se a desrama para evitar o aparecimento de nós nas madeiras. Caso seja possível, o material retirado será vendido para maravalha, lenha e/ou carvão.

4-6 anos: corte de 50% das árvores com venda para escoras, mourões, maravalha, lenha e/ou carvão. As árvores cortadas irão rebrotar e, após 4-6 anos, terei um novo corte. Espero um volume equivalente a 125 m³ de lenha por hectare nesse corte.

10-12 anos: corte de 75% das árvore com venda para escoras, mourões, maravalha, lenha e/ou carvão. Novamente as árvores cortadas irão rebrotar e darão um novo corte após 4-6 anos. Tenho a expectativa de um volume equivalente a 250 m³ de lenha por hectare.

16-20 anos: corte raso. 75% das árvores (as que são fruto de rebrotas) irão para o mercado de escoras, mourões, maravalha, lenha e/ou carvão. Nesse volume espero obter o equivalente a 375 m³ de lenha por hectare.
Já, nos 25% restante, é onde estará o grande lucro, pois o retorno financeiro deverá equivaler a 2.000 m³ de lenha por hectare vendendo para serraria e/ou laminação.

Escoras e Ripamento, Carvão, Maravalha, Lenha
Mourões, Tábuas e Lâminas

Há quinze dias o Rock perdeu uma grande figura: Malcolm Young, guitarrista base do AC/DC faleceu, e hoje trago o som deles no Monumental de Núñez (You shook me all night long). Sei que no Brasil assistimos a bons shows, mas quem tiver a oportunidade de, algum dia, assistir um show em Buenos Aires... é uma experiência única!!!

21 comentários:

  1. Mto legal. Ja pesquisei sobre a lucratividdde do eucalipto mas como sou da cidade tenho 0 de experiencia no campo. Alias já pesquisei de tudo sobre agro negocio(aquaponia, pau rosa, granja organica), so falta coragem mesmo. Boa sorte no empreendimento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, STN! Também sou da cidade... coragem e manda ver! Hidroponia você pode testar em casa para aprender a técnica.
      Na semana passada comprei um saco de substrato e um kit para 1.000 litros de água e custou menos de R$ 50,00.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  2. O que me falta é coragem também, mas já foi assunto na minha família que tem terras.
    Fale mais disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, CF! Vou postar mais sobre o assunto. A terra é a parte mais cara do investimento.
      E aí em Portugal, com é e questão agrária?

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Buenas, JI! Valeu a visita, vamo que vamo!!!

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  4. Meu sonho...ter uma terra e arrendar eucalipto. Negócio tranquilo.
    Mas sou pobre.
    Abcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Ok! Eu também não tinha terra. Trabalhei, poupei e comprei.
      O negócio realmente tende a ser tranquilo depois dos dois primeiros anos. Em contrapartida o resultado é para longo prazo.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  5. Respostas
    1. Por experiência própria, já faz 9 anos como comentado abaixo, mas gastei em torno de R$ 1.000,00 por ha, com plantio de 1600 pés por ha.

      Excluir
    2. Buenas, Enriquecendo!
      Não considerando a aquisição da terra, estimei o custo de implantação em R$ 3.800,00 por hectare. Nesse custo estão as mudas, mão-de-obra para um ano, serviços de máquinas e insumos.
      No entanto, a mãe natureza me deu alguns prejuízos e esse planejamento foi pro vinagre.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  6. Eu tenho plantio, faz 9 anos que plantei pinnus....idéia é corte raso aos 25 anos...tudo será lucro...vamos ver...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Anônimo! Parabéns pela aquisição, você comprou antes da subida. Eu paguei bem mais caro.
      Só por curiosidade, se você fosse vender hoje (terra + reflorestamento) já teria um bom lucro, correto?

      Abraço e sucesso!

      Excluir
    2. Não sei amigo, o preço da madeira está em baixa...estou por fazer o primeiro corte...em torno de 30% das árvores...
      A idéia é deixar para o futuro...não tenho intenção de vender a terra no momento, mas acredito que valha em torno de R$ 10 mil por ha o plantio fora a terra, se fosse vender hoje.
      O maior problema é achar comprador e negociar, visto que minha atividade principal é outra.

      Excluir
    3. Sim, o preço da madeira está em baixa. Esse foi um dos motivos que me levou a investir agora. Acredito na reversão no médio-longo prazo.
      Quanto à venda da terra, eu não sugiro isso, a pergunta foi mera curiosidade. Na região aonde moro vejo ofertas de venda de reflorestamento pelo valor da terra. Obviamente que a valorização que a terra teve já tira o vendedor do vermelho, mas eu esperaria e, se tivesse grana para investir, até compraria.
      Eu também tenho outra atividade e acho que isso nos dá uma boa vantagem: não temos a pressão de ter resultado no curto-médio prazo.
      Quanto à venda de 30% das árvores, o que você pensa em fazer? Não sei bem sobre pinus, mas entendo que mesmo que você não tenha um bom lucro agora esse manejo é essencial para a manutenção do crescimento das outras árvores, correto?
      Abraço!

      Excluir
    4. Correto, esse manejo é essencial. Estou tentando negociar, não conseguindo vou derrubar e deixar no chão.
      Tive casos na região assim.
      Conseguindo negociar, tiro o custo que terei para derrubar e consigo abater parte do que foi investido até o momento.

      Excluir
    5. Anônimo, boa sorte nessa venda. Na sua região não compra para lenha, maravalha... qualquer coisa é melhor que deixar no chão.

      Abraço e sucesso!

      Excluir
  7. Aqui em SP, só temos selva de pedra !! rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, SP! Mas tem um bom cinturão verde no entorno da cidade. Se eu morasse aí, buscaria áreas próximas para hidroponia ou agricultura orgânica. Mercado é o que não falta!

      Abraço e sucesso!!!

      Excluir
  8. Legal saber que gosta desse ramo, também criei fascínio pelo rural, principalmente pela agro-indústria, quando estudava sobre ações, gostava muito de lê sobre as produções de certas, a que me chamou atenção foi a "Tereos", este empresa é do ramo de cereais, vendo o processo de fabricação que utilizam para extrair os ativos da cana-de-açúcar e do milho, criou um animus para empreender nesse, claro que terei que iniciar com algo pequeno.

    Um dia germinou folhas numa batata-doce, fiz uma experiência em casa, estudei o plantio, pus a batata pra criar raízes e depois pus na terra do mini-jardim aqui de casa, seis meses depois colhi, foi legal, a planta gosta do clima, mesmo depois de arrancada, passou a florescer mais kkkkkk... minha irmã ficou chateada pq os ramos parecem matos e fica feio no meio das outras plantas.

    De qualquer forma, um pobre que nasceu sem instruções como eu, a melhor formar de entender esses negócios na prática é conhecendo quem já trabalha nisso, pra minha sorte, descobri nesses dias que i vizinho da frente tem propriedade rural onde planta principalmente abacate, entre outras frutas, tentar visitar este terreno e verificar como funciona o plantio dele.

    Batata-doce seria algo interessante para testar primeiramente, não tem época para frutificar, precisa de um terreno limpo (sem pedras) e um clima tropical, mas um amigo, quando conversava da ideia, informou-me sobre o plantio de graviola, que anda crescendo a demanda em razão de comprovações que esta fruta ajuda no tratamento de câncer, interessa-me pensar que posso empreender em algo que me traga um ganho e ajude a coletividade.

    Mas há muito que se pensar, estarei colocando esse projeto nos próximos dois anos, quando estarei finalizando a faculdade, terei que estudar a logística do transporte para levar os commodites aos clientes.

    Abraço do Norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buenas, Lobo! Interessante essa experiência com Batata Doce... eu moro no sul, então a culinária, topografia, composição do solo, regime de chuvas, são bem diferentes. Aqui eu não iniciaria com batata-doce nem graviola, mas com algo que tenha muito consumo (alface, cenoura, tomate, batata inglesa, cebola, alho). Mesmo que não dê muito dinheiro, com produtos mais comuns é mais difícil de perder dinheiro. Depois do know-how adquirido, dá para inovar.

      Quando decidi pelo projeto rural, busquei uma forma de não perder, e por isso foquei no cultivo de eucalipto. Agora, que estou implantando o projeto, estou buscando formas de maximizar os retornos, mas, se não encontrar nada que valha a pena, fico só com os eucaliptos.

      Pelo que entendi, você mora na cidade (eu também). Eu acho bem interessante o sistema de hidroponia - veja se tem alguma casa agropecuária que trabalha com isso e faça alguns testes com hortaliças - é bem legal!!! Aonde moro consegui um kit pronto para 1.000 litros de água e um saco de substrato (substituto para a terra) por menos de 50 reais.

      Abraço e sucesso!

      Excluir